DICAS & NOTÍCIAS

Tempo seco dobra atendimentos de pacientes com problemas respiratórios
Santa Cruz do Rio Pardo, 20 de junho de 2017

“Nesta fase o organismo fica mais frágil, pois a barreira da hidratação está prejudicada. Depois de um tempo o nariz tranca e o paciente passa a respirar pela boca. Crianças menores de dois anos e idosos são mais suscetíveis por conta da baixa imunidade, aumentando as chances de conjuntivite, faringite, pneumonia, entre outras”, explica o médico.

É bom lembrar que nem todo o tipo de gripe ou resfriado necessita de internação, nos casos menos graves, nos quais a criança está disposta e se alimentando corretamente, o tratamento pode ser realizado em casa de forma assintomática.

“A preocupação deve existir a medida em que são observadas mudanças no comportamento como cansaço, febre alta-acima de 38 graus- e falta de apetite”, pontua.

Para evitar as doenças respiratórias, é indicado evitar aglomerados, lavagem frequente das mãos e alimentação correta com a ingestão de frutas e verduras que auxiliam na defesa do organismo. “O ideal é que crianças menores de um ano e meio não sejam matriculadas na escola, pois não estão preparadas para isso, mas como a maioria dos pais trabalha, é necessário tomar estes cuidados preventivos”.

O pediatra orienta ainda que a umidade em excesso também pode ser prejudicial, por isso, o umidificador deve permanecer ligado no quarto da criança três horas antes da mesma ir dormir. “Pois o ar muito úmido pode ser ainda mais inimigo provocando fungos, ácaros e mofos no ambiente”.

A manutenção de uma toalha úmida no quarto é indicada, assim como a utilização do soro fisiológicos para desobstrução das vias nasais.

Voltar